20 abril, 2017

PT2020: Candidaturas abertas ao Qualificação e Internacionalização das PME’s


Estão abertas as candidaturas para os sistemas de apoio “Qualificação das PME” e “Internacionalização das PME” do Portugal 2020.

O “Qualificação das PME” apoia projetos individuais que visem ações de qualificação de PME - Pequenas e Médias Empresas em domínios imateriais que contribuam para promover a sua competitividade e a sua capacidade de resposta no mercado global. São elegíveis despesas como: aquisição equipamentos e software; economia digital; desenvolvimento organizacional e de produtos; redesenho e melhorias de layout; ações de benchmarking; registo de marcas; contratação de quadros técnicos qualificados; serviços de consultoria certificações; entre outros.

O sistema de apoio “Internacionalização das PME”, tem como objeto o apoio a projetos individuais que procurem reforçar a capacitação empresarial das PME para a internacionalização, a fim de promover o aumento das exportações através do desenvolvimento e aplicação de novos modelos empresariais e de processos de qualificação das PME para a internacionalização, valorizando os fatores imateriais da competitividade e permitindo potenciar o aumento da sua base e capacidade exportadora. As despesas elegíveis para apoio incluem: a obtenção de conhecimento dos mercados externos; a realização de ações de marketing internacional; a presença na web; a contratação de quadros técnicos; o aluguer de espaço em feiras, entre outros.

O limite mínimo de despesa elegível total por projeto (para ambos os concursos) é de 25 mil euros. O incentivo não reembolsável (“fundo perdido”) a conceder é calculado com base na aplicação de uma taxa de 45% às despesas consideradas elegíveis. As candidaturas estarão abertas até 30 de junho de 2017, pelo que para mais informações recomenda-se a consulta ao endereço www.portugal2020.pt.

Empreendedorismo sénior qualificado


Está aberto até final de 2017 o Projeto “Empreender 45-60 - Uma estratégia de Apoio ao Empreendedorismo Sénior na Região Norte” promovido pela AEP - Associação Empresarial de Portugal.

Este projeto tem como principais objetivos Identificar e analisar estratégias de emprego implementadas em países pertencentes à União Europeia, direcionadas à população desempregada e qualificada, com idade superior a 45 anos e desenvolver um conjunto de ações de capacitação dos principais agentes ligados ao empreendedorismo, promovendo o networking e a criação de redes de apoio a este público-alvo. Pretende ainda implementar um projeto-piloto de apoio ao empreendedorismo sénior com base num modelo de mutualismo de geração de ideias e criação de negócios, associado ainda ao empreendedorismo intergeracional e aos resultados esperados/atingidos.

Para alcançar estes objetivos serão desenvolvidas um conjunto de atividades, designadamente: a realização de um Benchmarking internacional com vista à identificação de modelos de apoio ao empreendedorismo sénior com sucesso; a elaboração de um Diagnóstico e Estratégia de Desenvolvimento; a promoção de ações de sensibilização e capacitação que incluem um ciclo de seminários temáticos, workshops de sensibilização e capacitação e um congresso internacional sobre Empreendedorismo Sénior; a implementação de um projeto-piloto de empreendedorismo sénior: o “Sénior Match Business”.

Os resultados deste projeto serão divulgados e disseminados em diversos públicos-alvo. Para mais informações, consultar o site www.empreender4560.pt.

14 abril, 2017

EDIT VALUE® escreve capítulo de livro sobre Competências e Gestão de Talento


A EDIT VALUE® Capital Humano esteve envolvida na conceção do livro “Competencies and (Global) Talent Management” da responsabilidade de Carolina Machado, professora associada na Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho.

Este livro aborda as principais questões sobre o estudo das competências e gestão de talentos nas organizações modernas e competitivas. Os capítulos mostram como as organizações em todo o mundo enfrentam desafios (globais) de gestão de talentos e dão informação sobre as atividades de pesquisa mais recentes relacionadas com o tema.
 
A equipa da EDIT VALUE® Capital Humano, Sandra Araújo (Administradora e Gestora de RH) e Sara Oliveira (Consultora de RH), no capítulo “Mercado de trabalho, gerações e talentos”, partilham uma reflexão sobre os desafios futuros da gestão de pessoas num panorama de grande complexidade e exigência. A rápida evolução tecnológica, incitada pelo "big data" e pela inteligência artificial, está já a revolucionar a lei da oferta e procura de talento, condenando ao fracasso algumas funções ou trabalhos tal como os conhecemos hoje e fazendo emergir novas funções ou profissões.

Um capítulo escrito a quatro mãos por representantes de duas gerações diferentes onde se reflete sobre como o impulso tecnológico implicará mudanças na gestão do capital humano sendo necessário compreender os contextos que deram forma às cinco gerações presentes no mesmo ambiente organizacional e os desafios que esta coexistência coloca à gestão de pessoas. Na emergência do talento, exploram-se ainda as competências críticas para um mercado de trabalho volátil e alinham-se as expectativas que as novas gerações têm sobre esse mesmo mercado.

Integralmente escrito em inglês, o livro está disponível nas livrarias nacionais e internacionais, sendo já possível a sua compra online através do site da editora Springer.

10 abril, 2017

Inovação Produtiva: Candidaturas abertas!


A nova fase de candidaturas ao sistema de incentivos “Inovação Produtiva” do Portugal 2020 já está disponível. Este programa apoia projetos que contribuam para incrementar atividades inovadoras no tecido empresarial, capacitar as empresas nesse âmbito e facilitar o desenvolvimento de produtos, promovendo a produção transacionável e internacionalizável e a alteração do perfil produtivo do tecido económico.

No âmbito deste programa de apoio e incentivo são elegíveis: a aquisição de máquinas e equipamentos produtivos; equipamentos informáticos e software específico; despesas de construção; aquisição de direitos de patentes, nacionais e internacionais; serviços de engenharia relacionados com a implementação do projeto; estudos, diagnósticos, auditorias, planos de marketing, projetos de arquitetura e engenharia.

Ao contrário do que acontece com a maior parte dos programas do Portugal 2020 (cuja natureza do incentivo é a “fundo perdido”), o Inovação Produtiva assume a forma de apoio reembolsável não sendo cobrados juros ou quaisquer outros encargos. Relativamente aos investimentos elegíveis, o valor mínimo é de 75 mil euros e o limite máximo é de 25 milhões de euros.

Foram disponibilizados dois avisos de candidatura com o intuito de diferenciar os projetos de investimento realizados em territórios mais desfavorecidos dos demais. As candidaturas estão disponíveis até dia 2 de junho de 2017. Todas as informações sobre este e outros programas de apoio e incentivo estão disponíveis em www.portugal2020.pt.

07 abril, 2017

Estágios Profissionais do IEFP com novas regras


Foi publicado em Diário da República a nova legislação aplicável aos estágios profissionais do IEFP - Instituto do Emprego e Formação Profissional. A nova legislação vem revogar as medidas Estágios Emprego e Estágios Reativar.

Das principais alterações introduzidas com a entrada em vigor dos novos Estágios Profissionais, destaca-se a diferenciação do valor da bolsa de estágio para detentores de mestrado ou doutoramento. No passado, a bolsa de estágio para detentores de mestrado e /ou doutoramento era igual à de um licenciado e correspondia a 695,18 euros. As novas bolsas de estágio atribuídas a mestres e doutorados correspondem agora a 716,24 euros e 737,31 euros, respetivamente.

É também introduzido um prémio à contratação após o estágio para as empresas que realizem contrato sem termo com os estagiários, logo após o fim do estágio. Este prémio corresponde a 2 vezes o salário do colaborador, até ao limite de 2.106,60 euros e pode ser majorado em 30% se se trate da contratação de um colaborador de género sub-representado na respetiva profissão. A concessão do prémio ao emprego determina a obrigação de manter, durante 12 meses, o contrato de trabalho e o nível de emprego verificado à data da celebração do contrato.

A outra grande alteração reside na criação de períodos de abertura e encerramento de candidaturas, quando anteriormente as candidaturas aconteciam de forma contínua e ininterrupta. Adicionalmente, as candidaturas passarão agora a ser pontuadas e elencadas com base em critérios de análise que podem ser de âmbito nacional ou regional e que vão visar sobre os seguintes 2 aspetos: a localização do projeto de estágio em território economicamente desfavorecido; e, a taxa de empregabilidade dos estagiários. Para efeitos de aprovação das candidaturas é ainda estabelecida uma pontuação mínima e as candidaturas serão aprovadas tendo em conta a sua pontuação e a dotação orçamental definida em cada fase de candidatura.

Os estágios continuam a ter duração de 9 meses, ou de 12 meses em casos específicos, e continuam a abranger os jovens com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos e os desempregados com mais de 30 anos, mediante certos requisitos. A taxa de comparticipação também se mantém nos 65% ou 80%, conforme o caso concreto de cada empresa.

O regulamento dos novos Estágios Profissionais será brevemente disponibilizado pelo IEFP em www.iefp.pt.

06 abril, 2017

Programa CoopJovem tem 15 milhões para apoiar 2 700 jovens até 2018


O Programa CoopJovem, cofinanciado pelo Programa Operacional Inclusão Social e Emprego, visa promover o empreendedorismo cooperativo, conta com um orçamento global de 15 milhões de euros e prevê apoiar 2.700 jovens NEET (que não estudam nem trabalham) até 2018. O objetivo do programa passa por apoiar jovens no desenvolvimento de uma ideia de negócio, facilitando a criação do próprio emprego.

São potenciais beneficiários os jovens entre os 18 e os 29 anos que pretendam constituir uma nova cooperativa, que integre no mínimo três e no máximo nove cooperadores, ou que pretendam criar uma nova secção em cooperativas agrícolas já existentes, que tenha até dez trabalhadores. O programa prevê a atribuição de bolsas, cujo valor varia consoante as habilitações dos candidatos, durante um período máximo de seis meses, cujo valor varia de acordo com as habilitações.

A terceira fase de candidaturas termina no próximo dia 30 de abril. Em Portugal, o programa é gerido pela CASES - Cooperativa António Sérgio para a Economia Social. Mais informações em: www.cases.pt.

Candidaturas abertas para os Prémios Europeus de Promoção Empresarial 2017


Os Prémios Europeus de Promoção Empresarial regressam para mais uma edição e as candidaturas para a fase nacional já se encontram abertas. A iniciativa é da Comissão Europeia, no âmbito do “Small Business Act”, e tem como objetivo potenciar a divulgação de atividades reconhecidas como boas práticas no âmbito da promoção da iniciativa empresarial na Europa.

As pessoas interessadas poderão ser submeter as suas candidaturas até ao dia 12 de abril de 2017, no âmbito das seguintes categorias: promoção do espírito de empreendedorismo; investimento nas competências empreendedoras; desenvolvimento do ambiente empresarial; apoio à internacionalização das empresas; e, empreendedorismo responsável e inclusivo. São elegíveis projetos ou iniciativas em curso ou recentes, com um mínimo de dois anos de duração.

As entidades privadas também poderão candidatar-se aos prémios europeus caso tenham um projeto ou iniciativa com o envolvimento de uma ou mais entidades públicas. Cada entidade pode submeter a concurso diferentes projetos em diferentes categorias. Os projetos vencedores seguirão posteriormente para a fase europeia de seleção. As candidaturas deverão ser enviadas até 12 de abril para o email premioseuropeus@iapmei.pt. Poderá consultar mais informações em www.iapmei.pt.

Projeto Europeu de Investigação sobre Coaching e Mentoring


Foi lançado o maior Projeto Europeu de Investigação sobre Coaching & Mentoring, o qual abrange 51 países europeus e está disponível em 31 línguas, sendo esta a primeira vez que Coaches e Mentores em Portugal podem participar, em igualdade de circunstâncias, num projeto transeuropeu de investigação sobre esta temática.

Esta pesquisa visa identificar semelhanças e diferenças entre Coaching e Mentoring na Europa no que respeita a modelos, práticas, ética, supervisão e tomada de decisão e é apoiada pela EMCC (sponsor do projeto) e por aproximadamente 100 associações e entidades relacionadas com o Coaching, incluindo a Association for Coaching Global e a ICF Global.

Além do Relatório Executivo, espera-se produzir um relatório para cada país sendo desejável obter um elevado grau de envolvimento ao nível nacional, o qual contribuirá para uma melhor compreensão do Coaching e Mentoring não só na Europa, mas também em Portugal. A publicação dos resultados da investigação serão publicados no 2º semestre de 2017 no site da Escola de Gestão de Henley da Universidade Reading, Reino Unido. Poderão ser consultadas mais informações sobre o projeto em www.henley.ac.uk.

05 abril, 2017

Como potenciar o impacto da gestão de pessoas na gestão global?

 

A gestão de pessoas domina a agenda dos líderes das organizações. Estes reconhecem o impacto que as pessoas podem ter (e têm) nos resultados e esperam que as equipas de recursos humanos acrescentem valor, contribuindo decisivamente para o desempenho coletivo da empresa e para uma vantagem competitiva sustentável e diferenciadora.

As lideranças de RH, ao mesmo tempo que reivindicam um lugar de maior relevo e um papel de parceiro estratégico de negócio, têm agora de demonstrar, o impacto da gestão de pessoas na gestão global da empresa e dos negócios.

Como?

Primeiro, através da capacitação das estruturas. Não apenas um enfoque técnico funcional, mas também pelo desenvolvimento de competências críticas para o negócio, criando uma linguagem agregadora e um alinhamento natural, através de feedback contínuo entre o negócio e os RH.

É fundamental que os RH tenham uma visão clara do modelo de negócio da empresa: quem são os clientes, como se caracterizam os produtos e serviços, o que os diferencia da concorrência.

Assim, existirão condições para a formulação da estratégia de RH, alinhada com a estratégia corporativa, estabelecendo-se prioridades, objetivos e ações, bem como as métricas segundo as quais estas serão avaliadas. Haverá de conseguir-se uma abordagem credível aos desafios concretos de RH, como a avaliação da performance de uma equipa comercial, o impacto de formação financeira na evolução da margem bruta, ou a qualidade de um líder como fator decisivo dos resultados de uma unidade de negócio.

Por outro lado, é essencial que estratégia de RH seja apropriada pela gestão de topo da organização, independentemente de a gestão de pessoas estar ou não diretamente representada no Conselho de Administração.

Finalmente, as melhores práticas de RH devem ser implementadas em total parceria com o negócio. Os seus objetivos têm de ser relevantes para as áreas de negócio, fazendo das vitórias de uns, o valor dos outros.

Este será um estádio de maturidade para a gestão de pessoas, assegurando a reputação e o estatuto ambicionado, em termos de gestão global.

Ana Salomé Martins
Diretora de Pessoas e Comunicação
Grupo NORS