13 dezembro, 2018

IEFP: Novos períodos de candidatura a apoios à contratação já anunciados


Os novos períodos de candidaturas às medidas Contrato-Emprego e Estágios Profissionais já foram anunciados pelo IEFP - Instituto do Emprego e Formação Profissional. As medidas de Contrato-Emprego e Estágios Profissionais do IEFP são importantes medidas de apoio às empresas que pretendam integrar nos seus quadros desempregados inscritos no IEFP ou proporcionar uma oportunidade de formação em contexto de trabalho a jovens, por via de estágios financiados, com vista à sua futura integração no mercado de trabalho.

Em 2019, as empresas poderão apresentar as suas candidaturas a estas medidas de apoio à contratação em 3 períodos distintos. No caso da medida Contrato-Emprego os períodos de candidatura ocorrem: de 4 de março a 4 de abril; de 3 de junho a 3 de julho; e, de 1 de outubro a 4 de novembro de 2019. Por sua, vez as candidaturas aos Estágios Profissionais obedecem ao seguinte calendário: de 1 fevereiro a 4 março; de 2 maio a 3 junho; e, de 2 setembro a 2 outubro de 2019.

Mais informações disponíveis em www.iefp.pt.

12 dezembro, 2018

PT2020: candidaturas abertas ao Inovação Produtiva!


Acabam de abrir as candidaturas ao sistema de incentivos “Inovação Produtiva” do Portugal 2020 que apoia o aumento do investimento empresarial em atividades inovadoras (ao nível do produto ou processo), promovendo o aumento da produção transacionável e internacionalizável e a alteração do perfil produtivo do tecido económico.

No âmbito deste programa de apoio e incentivo são elegíveis: a aquisição de máquinas e equipamentos produtivos; equipamentos informáticos e software específico; despesas de construção; aquisição de direitos de patentes, nacionais e internacionais; serviços de engenharia relacionados com a implementação do projeto; estudos; diagnósticos; auditorias; planos de marketing; e, projetos de arquitetura e engenharia.

Ao contrário do que acontece com a maioria dos programas do Portugal 2020 (cuja natureza do incentivo é a “fundo perdido”), o Inovação Produtiva assume a forma de apoio reembolsável não sendo cobrados juros ou quaisquer outros encargos (mediante a superação dos objetivos assumidos em candidatura cujo cálculo é efetuado no ano após a conclusão do projeto e respetivos investimentos, existe a possibilidade de uma parte da verba financiada não ter de ser devolvida). Relativamente aos investimentos elegíveis, o valor mínimo é de 75 mil euros e o limite máximo é de 25 milhões de euros.

O prazo para a submissão de candidaturas termina no dia 15 de março de 2019. Todas as informações sobre este programa de apoio em: www.portugal2020.pt.

11 dezembro, 2018

PT2020: Abertas as candidaturas para a Qualificação e Internacionalização de PME


Estão abertas as candidaturas para os sistemas de incentivo “Qualificação PME” e “Internacionalização PME” do Portugal 202O “Qualificação PME” apoia projetos individuais que visem ações de qualificação de PME - Pequenas e Médias Empresas em domínios imateriais que contribuam para promover a sua competitividade e a sua capacidade de resposta no mercado global. São elegíveis despesas como: aquisição equipamentos e software; economia digital; desenvolvimento organizacional e de produtos; redesenho e melhorias de layout; ações de benchmarking; registo de marcas; contratação de quadros técnicos qualificados; serviços de consultoria certificações; entre outros.

O sistema de incentivo “Internacionalização PME”, tem como objeto o apoio a projetos individuais que procurem reforçar a capacitação empresarial das PME para a internacionalização, a fim de promover o aumento das exportações através do desenvolvimento e aplicação de novos modelos empresariais e de processos de qualificação das PME para a internacionalização, valorizando os fatores imateriais da competitividade e permitindo potenciar o aumento da sua base e capacidade exportadora. As despesas elegíveis para apoio incluem: a obtenção de conhecimento dos mercados externos; a realização de ações de marketing internacional; a presença na web; a contratação de quadros técnicos; o aluguer de espaço em feiras, entre outros.

O limite mínimo de despesa elegível total por projeto no âmbito de ambos os concursos é de 25 mil euros. O incentivo não reembolsável (“fundo perdido”) a conceder é calculado com base na aplicação de uma taxa de 45% às despesas consideradas elegíveis. No caso do apoio “Internacionalização PME”, apenas se podem candidatar os beneficiários que ainda não tenham atingido uma intensidade das exportações superior a 15% no ano de 2017.

As candidaturas estarão abertas até 8 de fevereiro de 2019. Mais informações sobre estes sistemas de incentivos em www.portugal2020.pt.

06 dezembro, 2018

SpinUM - Concurso de ideias de negócio: candidaturas até 31 de janeiro


Estão abertas as candidaturas ao concurso “SpinUM - Concurso de ideias de negócio”, promovido pela TecMinho, que tem como principais objetivos selecionar e premiar ideias de negócio inovadoras, em qualquer domínio científico ou tecnológico, e apoiar a concretização de ideias/projetos de elevado potencial de negócio através da facilitação do acesso a mecanismos de financiamento adequados, assim como a parcerias de negócio estratégicas.

Este concurso destina-se a docentes, alunos ou alumni da UM - Universidade do Minho, de qualquer nacionalidade, concorrendo individualmente ou em equipa até um máximo de 5 elementos. Podem, ainda, candidatar-se promotores de ideias/projetos que, não tendo ligação formal à UM, integrem equipas compostas por, pelo menos, um aluno ou ex-aluno da UM. Cada promotor ou equipa de promotores só poderá apresentar uma ideia/projeto a concurso.

Nesta nova edição serão premiados os primeiros e segundos classificados. O prémio atribuído inclui serviços de apoio à criação de empresas num valor total de 6.000 euros. As candidaturas devem ser apresentadas num formulário próprio até ao dia 31 de janeiro de 2019. Os interessados deverão consultar o endereço www.tecminho.pt.

Garantia para a Juventude: Medidas para reduzir o desemprego dos jovens

A União Europeia lançou uma série de iniciativas que visam reduzir o desemprego entre os jovens, já que estes são o grupo mais atingido pela crise económica e financeira.

A iniciativa “Garantia para a Juventude” destina-se a jovens com menos de 30 anos que não trabalham, não estudam, nem frequentam uma formação. Neste grupo-alvo estão incluídos desempregados de longa duração e os que não estão inscritos nos centros de emprego que podem assim beneficiar de ofertas de emprego, formação permanente, aprendizagem e estágio no prazo de quatro meses após terem ficado desempregados ou terminado o ensino formal.

A “Garantia para a Juventude” em Portugal funciona da seguinte forma: numa primeira fase, uma rede de parceiros contacta, informa, orienta e motiva os jovens para participar nas ações desta medida; na segunda fase, os parceiros articulam de forma a encaminhar os jovens para as soluções mais adequadas, de acordo com as suas expectativas e necessidades; e, na última fase, os jovens participam sucessivamente nas ações necessárias para completar o seu percurso educativo e profissional até ser integrado no mercado de trabalho.

Mais informações sobre esta iniciativa consultar os websites www.garantiajovem.pt e ec.europa.eu.

Fundo para a Inovação Social: candidaturas abertas em contínuo


O novo fundo para a Inovação Social foi oficialmente apresentado na conferência tecnológica Web Summit e conta com uma dotação orçamental de 55 milhões de euros. Os projetos financiados serão iniciativas de Inovação e Empreendedorismo Social que apresentem respostas inovadoras a problemas sociais que se distingam das respostas mais tradicionais. Este fundo irá ser operacionalizado através de duas linhas de financiamento que incluem crédito e capital.

A primeira vertente é destinada a entidades da economia social, nomeadamente associações, mutualidades e fundações que tenham por base a concessão de empréstimos bancários por parte de instituições de crédito. A segunda vertente é destinada a Pequenas e Médias Empresas e funciona em regime de coinvestimento (com um teto máximo de 70%) por investidores privados em capital e quase capital de entidades que desenvolvam projetos de Inovação Social.

O fundo para a Inovação Social funcionará em regime de concurso aberto permanente. Mais informações em fis.gov.pt.

29 novembro, 2018

Programa Portugal Tech: 100 milhões de euros para startups e PME’s


O programa Portugal Tech tem como objetivo atrair para Portugal fundos de capital, privados e institucionais, para investimento em empresas de base tecnológica, entre outras, visando também a capitalização de fundos de capital de risco e o financiamento de investimentos de venture capital, em startups, PME’s - Pequenas e Médias Empresas e mid-caps, maioritariamente sediadas em Portugal.

Este novo programa, inserido na estratégia de inovação tecnológica e empresarial para Portugal 2018-2030, irá selecionar equipas portuguesas experientes na gestão de fundos de capital de risco cuja estratégia seja não só investir em empresas mas também em projetos desenvolvidos por universidades, centros de investigação, incubadoras e aceleradoras de empresas sediadas em Portugal.

Esta iniciativa resulta da parceria entre a IFD - Instituição Financeira de Desenvolvimento e o FEI - Fundo Europeu de Investimento numa combinação de fundos nacionais, provenientes do IAPMEI - Agência para a Competitividade e Inovação, e poderá capitalizar até 70% de fundos de venture capital e tech transfer desde que estes sejam capazes de levantar os restantes 30% junto de investidores privados e independentes.

Para mais informações sobre o programa, consultar em: www.iapmei.pt.

Projeto Green EYE: programa Erasmus for young entrepreneurs


O projeto Green EYE é uma iniciativa de intercâmbio destinada a empreendedores e financiada pela UE - União Europeia que tem como objetivo apoiar novos e potenciais empreendedores na criação do seu próprio negócio e, ao mesmo tempo, dar aos empresários de acolhimento uma oportunidade para desenvolver a competitividade e impulsionar o crescimento da sua empresa através de uma aprendizagem e colaboração mútuas.

Estão elegíveis para este programa todos os setores de atividade com especial destaque para o setor da economia verde onde estão inseridos: o ambiente; as energias renováveis; a sustentabilidade; o transporte eficiente; a eco-eficiência; a gestão de resíduos; a construção verde; a tecnologia limpa; e, os sistemas energéticos inteligentes. Neste programa podem participar novos empreendedores, que terão de: ter no mínimo 18 anos de idade e residência permanente há pelo menos 6 meses consecutivos em Portugal; ter um projeto ou ideia concreta de negócio e o respetivo plano de negócios; planear iniciar um negócio ou já possuir um negócio com menos de 3 anos; e, estarem motivados e dispostos a colaborar com um empresário experiente de outro país da UE e contribuir para o desenvolvimento do seu negócio. Enquanto empresários de acolhimento é necessário que estes: possuam residência permanente em Portugal; sejam CEO ou tenham uma função semelhante diretamente ligada à gestão da empresa, enquanto quadro superior; tenham a PME constituída e em atividade empresarial há pelo menos 3 anos; e, estejam dispostos a partilhar os seus conhecimentos e experiências com um novo empreendedor.

O projeto Green EYE decorre entre fevereiro de 2018 e janeiro de 2020. Mais informações disponíveis em: www.erasmus-entrepreneurs.eu.

Alterações na IES: novas regras já vigoram em 2018


A IES - Informação Empresarial Simplificada é uma declaração eletrónica que reúne informação sobre os impostos, contabilidade e estatísticas nacionais sobre as empresas e algumas pessoas singulares que vai sofrer uma restruturação no modo de preenchimento e submissão.

O preenchimento da IES passa assim a ser efetuado após comunicação prévia à AT - Autoridade Tributária e respetiva validação do ficheiro SAFT - Standard Audit for Tax Purposes relativo à contabilidade que permite o pré-preenchimento de alguns campos da declaração com informação retirada a partir desse ficheiro. A comunicação desta informação permite também retirar alguns campos dos formulários, uma vez que a informação passa a ser obtida através do referido ficheiro facilitando não apenas a submissão da declaração por parte dos sujeitos passivos obrigados à sua entrega mas também o acesso aos registos contabilísticos das empresas por parte das entidades a quem a informação deve ser legalmente prestada.

Estas novas regras entraram em vigor no dia 1 de novembro de 2018, aplicando-se assim à entrega das declarações que ocorrerem a partir desta data. No entanto, os modelos oficiais, o modo de preenchimento e submissão da IES ainda vão ser aprovados por Portaria em Diário da República.

23 novembro, 2018

Skills4Succession: Os problemas de sucessão em empresas familiares


No âmbito do “Roadmap para Empresas Familiares Portuguesas”, foram apresentados recentemente em Guimarães, os principais resultados do estudo “Empresas familiares da região Norte. Mapeamento, retratos e testemunhos”, o qual teve como principal objetivo conhecer e avaliar o impacto das empresas familiares da Região Norte na economia local e nacional.

Uma das principais conclusões do estudo confirma que apenas 11% das empresas familiares portuguesas em análise afirmam ter um plano de sucessão. Para além disso, o estudo salienta também que, um dos fatores indutores do sucesso destas empresas passa por uma preparação antecipada e pela realização de um plano de treino do sucessor antes do efetivo início da função, de forma a garantir a sustentabilidade e prosperidade futura da empresa.

Dada a importância deste tema, o CTCP - Centro Tecnológico do Calçado de Portugal tem em curso o projeto “Skills4Succession”, um projeto de I&D internacional que tem como principal objetivo projetar, desenvolver e testar ferramentas e metodologias de aprendizagem, direcionadas aos líderes e aos seus sucessores (e a outras pessoas-chave na organização), no sentido de apoiar as PMEs a enfrentar um processo de sucessão de forma bem-sucedida.

A EDIT VALUE integra o consórcio deste novo projeto, onde serão criadas condições para que as PMEs desenvolvam diversas competências para a realização de uma sucessão sustentável e serão capacitados formadores e técnicos para dar apoio aos grupos-alvo mencionados.

Para mais informações consultar o endereço www.skills4succession.eu.